Álvaro Amaro, Carlos Chaves Monteiro e Vítor Amaral não vão a julgamento no caso “Guarda Folia”

0
141

O Tribunal da Guarda decidiu não pronunciar o ex-presidente do município Álvaro Amaro, o actual presidente, Carlos Chaves Monteiro, e o vice-presidente, Vítor Amaral, dos crimes de prevaricação e fraude na obtenção de subsídio.

O eurodeputado Álvaro Amaro e ex-presidente da Câmara Municipal da Guarda, o actual presidente, Carlos Chaves Monteiro, o vereador da cultura e actual vice-presidente Vítor Amaral, foram acusados dos crimes de prevaricação e fraude na obtenção de subsídio para financiamento da festa de Carnaval “Guarda Folia” em 2014, bem como duas funcionárias da autarquia e a direcção da cooperativa “Aquilo”. A fase de instrução do processo decorreu nos dias 5 e 6 de Julho, nas instalações do NERGA (Associação Empresarial da Região da Guarda), onde foram ouvidos os arguidos e as testemunhas.

Mais informações na edição em papel do NC.

Comments are closed.