Atletas formadas na Academia participam no Campeonato Nacional de Patinagem no Gelo

Maioria das patinadoras da Academia da Federação de Desportos de Inverno são da Covilhã
0
468

A Pista da Serra da Estrela, nas Penhas da Saúde, acolhe, sábado e domingo, o II Campeonato Nacional de Patinagem Artística no Gelo, o primeiro realizado com patinadoras formadas na Academia da Federação de Desportos de Inverno de Portugal (FDIP), a funcionar desde o início do ano.

As novas atletas aumentam para cerca de 20 o número de participantes na competição, a primeira desde que Portugal foi admitido como membro na modalidade pela Federação Internacional de Patinagem.

A funcionar desde o início do ano, com a orientação de duas treinadoras que competiram nos Estados Unidos e na África do Sul, Sophia LaMay e Carla Almeida, a Academia permitiu a aprendizagem da patinagem no gelo a vários atletas, a maioria da região, onde foi criado o Ice Clube da Covilhã.

O programa curto tem início sábado, às 14:00, e o programa livre, de masculinos e femininos, está marcado para a manhã de domingo, entre as 09:00 e as 13:00, com entrada gratuita do público.

A maioria dos participantes, oriundos da Academia da FDIP, compete nos iniciados, mas estarão também em prova os escalões intermédio, avançado e elite.

“O objectivo não será, para já, estarem focadas nos resultados, mas poderem participar numa experiência destas, ao lado de atletas mais evoluídas na modalidade e com mais técnica, para que também se entusiasmem para continuarem a aprender, a evoluir”, salientou o presidente da federação, Pedro Flávio.

O dirigente informou que, além dos treinos semanais na Pista da Serra da Estrela, quando a estrutura fechou, entre Abril e Outubro, as atletas treinaram em Viseu, para “dar continuidade ao trabalho”.

Pedro Flávio sublinhou que a dimensão da pista, de tamanho inferior ao olímpico, limita a acção de quem é mais evoluído tecnicamente, mas acentuou que no primeiro Campeonato Nacional, quando se estava “num processo inicial de aprendizagem”, “funcionou bem”, e acredita que o mesmo vai acontecer nos próximos dois dias de competição.

“O nível em Portugal ainda não é muito elevado, comparado com outros países da Europa, embora tenhamos algumas atletas que já têm alguns anos de experiência, treinavam fora do país e têm um nível bastante interessante”, realçou o presidente da FDIP.

No “início de um processo”, Pedro Flávio espera no futuro ver os frutos da aposta.

“A ideia é que, quem está nos iniciados, nos próximos anos possa vir a participar nos outros escalões e, à medida que vão aprendendo mais técnicas e mais manobras, possam vir a desenvolver os programas mais difíceis, já de acordo com os níveis mais elevados”, perspectivou o dirigente federativo.

Além da preocupação com a formação, e no trabalho feito com vista à construção no país, na zona de Lisboa, de uma pista com dimensões olímpicas, Pedro Flávio, que em Novembro sucedeu a Pedro Farromba na liderança da FDIP, enfatizou a aposta na identificação de atletas que possam já representar o país em provas internacionais, como é o caso de David Gouveia, emigrante na Suíça.

“A presença de Portugal nessas competições internacionais da International Skating Union (ISU) é importante para o reconhecimento da modalidade lá fora e para depois criarmos maior potencial para o desenvolvimento da modalidade no nosso país”, vincou Pedro Flávio.

Este ano o Campeonato Nacional conta com a presença de um painel de três jurados espanhóis que vão dar formação a juízes portugueses nos próximos meses.

Na tarde de domingo, após a atribuição de prémios, no âmbito do Dia Internacional da Patinagem, promovido pela ISU, a pista é aberta a crianças e jovens até 18 anos que queiram experimentar gratuitamente a modalidade, para terem a possibilidade de ter contacto com a patinagem artística no gelo, “se entusiasmem e fiquem com vontade de praticar nas vertentes mais ligadas à competição”, comentou o presidente da federação.

Comments are closed.