Campeãs do Valverde disputam acesso à II Divisão com “ambição moderada”

Equipa do concelho do Fundão foi campeã com cinco pontos de vantagem e é a única formação invicta
0
497

O Grupo Desportivo de Valverde sagrou-se campeão interdistrital de futsal feminino, numa época em que a equipa sofreu uma profunda reestruturação, e vai, pela segunda vez, disputar o acesso à II Divisão nacional da modalidade, com uma “ambição moderada”, para gerir as expectativas, e definindo objectivos em cada fase da prova.

“Não é impossível, é difícil, mas vamos tentar que o difícil seja possível de ser alcançado”, disse ao NC a treinadora e presidente, Catarina Rondão, que destaca o crescimento colectivo e individual de um plantel em que apenas quatro jogadoras transitaram da época anterior, mas também a experiência e maturidade em que é necessário trabalhar, aliando à “ambição, ao querer e à vontade, que são determinantes”.

Depois de na temporada 2018-2019 ter disputado o principal escalão do futsal feminino nacional, no ano passado a equipa do concelho do Fundão esteve próximo de ascender à II Divisão e esta época as associações de futebol de Castelo Branco e de Santarém uniram esforços para organizar um campeonato conjunto, para colmatar a falta de competitividade dos respectivos distritais.

A uma jornada do fim, as jogadoras do Valverde sagraram-se campeãs e terminaram no sábado, 5, o campeonato interdistrital com 52 pontos, mais cinco que o VC Santarém, e com 17 vitórias e um empate em 18 jogos, a única formação invicta.

Para a presidente e treinadora, a criação do campeonato interdistrital “foi muito interessante, acabou por ajudar na parte competitiva, apesar de não haver muitas equipas com um nível mais elevado” e, embora a decisão seja das associações, espera que o modelo tenha continuidade, até porque “o feedback dos clubes é positivo” e na organização houve “uma boa dinâmica entre as duas associações”.

Objectivos definidos “por fases”

Com um palmarés relevante no futsal nacional, Catarina Rondão admite que, teoricamente, o espaço natural do Valverde não é no distrital, “por ser ainda muito frágil para o que o clube ambiciona”, mas realça que é dentro da quadra que terão de provar que o seu nível competitivo é na II Divisão.

“Nós temos os pés muito assentes na terra, sabemos que é um trajecto difícil e definimos que vamos por fases. Se a competição for em duas fases, para já o objectivo é passar à segunda fase e depois, na segunda fase, tentar ficar em primeiro lugar do grupo”, frisou a técnica do emblema do concelho do Fundão.

A também presidente do Valverde vinca que “as pessoas esperam muito” da equipa, fruto do percurso ao longo dos anos, e receia que o grupo acuse a pressão, até porque é uma equipa em construção e que passou também por uma mudança de processos e da própria estrutura do jogo, adaptada em função do tipo de jogadoras que integram actualmente o plantel.

“É bom que as pessoas continuem a acreditar que o Valverde tem potencial para chegar longe, porque temos um percurso e, quando tropeçamos, mostramos uma boa resposta e uma boa reacção à adversidade, mas nós, enquanto estrutura técnica, temos de filtrar esse tipo de expectativas”, acentua a dirigente e ex-jogadora. “Temos de ir com calma e fazendo a nossa própria gestão a cada jogo e gerir muito bem a componente emocional”, acrescenta.

O Valverde terminou o campeonato interdistrital, onde participaram dez equipas, com 119 marcados e apenas 14 sofridos. Na última jornada, em casa, frente ao Juventude Ouriense, que terminou com uma vitória por 5-1, o grupo recebeu as medalhas de campeãs.

 

Valverde folga na primeira jornada

O Grupo Desportivo de Valverde ficou na passada semana a conhecer o seu calendário de jogos para a Taça Nacional de Seniores Femininos. Na jornada inaugural ( sábado, 19), a equipa do concelho do Fundão irá folgar.

Já na segunda jornada (26 Março) recebe o campeão de Coimbra (GD Tabuense) e a fechar a primeira volta (2 Abril) joga no terreno do campeão distrital da Guarda (Associação Guarda 2000).

Há outra equipa da Beira Interior que vai participar na Taça Nacional Seniores Femininos, o Clube Futsal do Sabugal, vice-campeão distrital da Guarda, que foi convidado pela Federação para preencher a vaga da Associação da Madeira. A turma da cidade do Sabugal vai defrontar a equipa União Coimbra (vice-campeão Coimbra) e a equipa do Centro Popular Pocariça (campeão de Leiria).

Comments are closed.