Centro Histórico volta a ser palco do Festival da Cherovia

Evento regressa e vai até domingo, ainda em formato híbrido, para divulgar esta raiz e seus derivados, com uma programação gastronómica, cultural, científica e educacional
0
359

O Festival da Cherovia está de volta, ainda em formato híbrido, mas já com mais interacções com o público mesmo com a pandemia. Depois de uma edição totalmente online no ano passado, o festival volta a oferecer os ingredientes especiais que tanto fizeram o gosto do público nas suas 14 edições. Gastronomia, arte e cultura voltam como motes principais da festa, que nesta edição ganha os níveis científico, educacional e ambiental. “A cherovia da Covilhã é única, as nossas condições são únicas e por isso a festa aposta nesse produto de mais de 200 anos como divulgação da região”, explica Eduardo Cavaco, responsável pela organização.

No primeiro nível do festival está o destaque: a gastronomia. Por isso, a edição volta com o “Cherovia no Prato”, com stands instalados no Pelourinho e na Janela Manuelina. No local, chefs da cidade estarão a atender os visitantes com as suas especialidades. “É uma oportunidade para os visitantes ficarem a conhecer o património histórico e cultural ou de descobrirem algumas das principais obras de arte urbana da cidade”, completa Eduardo Cavaco.

Também os principais restaurantes da cidade e da Serra da Estrela, através de seus chefs, estarão a incluir a cherovia nos seus menus. Além disso, o Mercado Municipal vai realizar a tradicional venda da produção da hortaliça e de produtos derivados, no “Mercadinho da Cherovia”. E, por fim, um stand no Serra shopping estará a realizar a divulgação do festival aos turistas. As cantinas da Universidade da Beira Interior (UBI) também vão inserir nos seus menus pratos com cherovia.

A programação cultural insere-se no segundo importante aspecto do festival. Um palco atrás da Câmara Municipal será montado para apresentações musicais de grupos voltados à tradição da Covilhã e Serra da Estrela. Hoje, quinta-feira, 23, há apresentações académicas com a Tuna e Desertuna e o Quinteto de Sopros da Banda da Covilhã. No dia seguinte, sexta-feira, 24, a noite de fados e, no sábado, 25, uma noite tradicional e popular com a Manta de Ourelos.

Na sexta, 24, decorre a Noite Europeia dos Investigadores, com o tema “Ciência, Cherovia e Gastronomia”, com o CICS-UBI, dentro do nível científico do evento. A educação será o outro nível, com apresentações em infantários e oferta de cherovia baby para as crianças.

Texto completo na edição papel do NC.

Comments are closed.