Clã para ver em Junho na Covilhã

Grupo regressa dia 17 à Cidade Neve, num ano em que assinala 30 anos de carreira
0
285

Os Clã regressam à Covilhã e sobem ao palco do Teatro Municipal da Covilhã (TMC) no dia 17 de Junho (sexta-feira), às 21 horas e 30. Este é um dos destaques da programação do próximo mês nesta sala de espectáculos, que contará ainda com “propostas diversificadas, nas mais variadas áreas artísticas” explica em comunicado o TMC.

A banda de pop/rock nacional vem à Cidade Neve numa altura em que assinala 30 anos de carreira e promete dar corpo e músculo às canções de “Véspera”, o mais recente álbum, “trazendo também outros temas clássicos que fazem a sua história e a de todos nós. Sempre criativos e irrequietos, amplamente reconhecidos pela energia e excelência dos seus concertos, os Clã são uma verdadeira instituição do pop/rock nacional” diz o TMC.

Antes, no dia 4, a companhia de dança Kayzer Ballet estreia “Humano 2.0” , às 21 horas e 30. O bailarino e coreógrafo Ricardo Runa descreve assim a sua última criação: “Vivemos o Presente, sentimos a mudança… A nossa “nova versão” não é o que se esperava.  A falta de empatia para com o outro, a crítica constante sem olhar a meios, não é o que se pretende. Somos a mudança e com ela trazemos os sentimentos que fazem do ser-humano algo tão especial”.

No dia 9, também às 21 horas e 30, o TMC~ acolhe a ópera ligeira “Com D. Dinis e D. Isabel”, de José Carlos Godinho, apresentada pela Escola Básica Pêro da Covilhã. “No âmbito do Complemento à Educação Artística – CEA, alguns alunos e alunas da EB Pêro da Covilhã, ao longo do ano lectivo, prepararam a opereta/ópera ligeira com a orientação dos docentes envolvidos no projecto” explica o TMC.

“Um Aguçar dos Sentidos” é uma criação audiovisual de Frederico Dinis inspirada na história, no território, na paisagem e no património urbano, arquitetónico, paisagístico e etnográfico da Covilhã, “cuja identidade é um testemunho singular da sua memória e cuja atmosfera nos transporta para novas dimensões deste território.” Com recurso à exploração dos seus aspectos sonoros e visuais, Frederico Dinis propõe um diálogo entre território e caminhadas, sons e silêncios, lugares vazios e lugares ocupados, espaços digitais e espaços corpóreos. “Um Aguçar dos Sentidos” acontece no TMC no dia 11 de Junho, às 21 horas e 30.

A peça ” Turma de 95″, com criação e interpretação da atriz e encenadora Raquel Castro, realiza-se no dia 15, às 21 horas e 30, no âmbito da 18ª edição do Festival Y, organizado pela Quarta Parede.

No dia 23, às 21 horas, o TMC~ acolhe “La Bayadère”, pelo Conservatório de Música da Covilhã. “La Bayadère” junta-se a uma série de bailados já apresentados pelo Conservatório destinados a desenvolver e a enriquecer o percurso na área da dança dos seus alunos” explica.

Comments are closed.