Cova da Beira: Coolabora registou mais 121 casos de violência doméstica este ano

Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres é assinalado na sexta-feira, às 18 horas, com uma vigília na Praça do Município, na Covilhã
0
190

A Coolabora registou este ano 121 novos casos de violência doméstica, de um total de 259 vítimas que tem estado a acompanhar, informou a cooperativa de intervenção social que tem gabinetes de apoio nos concelhos de Belmonte, Covilhã e Fundão.

Numa nota de imprensa em que visa assinalar o Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra as Mulheres, que se assinala na sexta-feira, a Coolabora explicou que, do total de casos acompanhados ao longo dos dez primeiros meses deste ano, 138 situações transitaram de anos anteriores e 121 dizem respeito a novos processos.

Esta cooperativa frisou ainda que os novos casos representam um aumento de 18,6%, face ao mesmo período de 2021, sendo que em 90% das situações a vítima é do sexo feminino.

“No nosso gabinete, em 95,6% das situações quem agride é do sexo masculino, regra geral com uma relação de intimidade com a vítima, frequentemente na condição de ex-maridos, namorados, companheiros”.

A organização destacou ainda que cerca de 43% das situações acompanhadas pela Coolabora dizem respeito a casos em que a relação já terminou, deixando assim o alerta de que é “precisamente quando as mulheres põem termo à relação que o perigo se avoluma”.

A existência de filhos, a precariedade económica, a baixa autoestima da vítima ou a tendência para tentar desculpar o agressor são algumas das razões apontadas para que, muitas vezes, as situações se prolonguem.

No que concerne às vítimas mais novas, e para as quais a Coolabora tem uma resposta especializada, no conjunto dos três concelhos, estão a ser acompanhadas 70 crianças e jovens.

De acordo com os dados, a maioria dos casos registam-se no lar e em 84% das situações os agressores são progenitores, a maioria dos quais (98,3%) do sexo masculino.

“Ao invés do que frequentemente afirma o senso comum, os mais pequeninos não são protegidos: 11,4% dos casos são crianças entre os 4 e os 6 anos e 25,7% têm entre 7 e 10 anos”.

A CooLabora também anunciou que vai assinalar o Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres com uma vigília organizada por um grupo de jovens ativistas pelos direitos humanos, na Praça do Município, na Covilhã, na sexta-feira, às 18:00 horas.

Comments are closed.