Cova da Beira regista 103 novos casos de violência doméstica

Coolabora registou, na Cova da Beira, mais de 100 novos casos este ano. Em 50 por cento destes casos, as mulheres tomaram conta “dos seus destinos e libertaram-se”
0
634

A Coolabora registou, este ano, 103 novos casos de violência doméstica na Cova da Beira, informou na passada semana esta cooperativa de intervenção social que gere o programa “Violência Zero” nos concelhos da Covilhã, Belmonte e Fundão.

Em nota de imprensa, a Coolabora refere que os dados dizem respeito ao período entre 1 de Janeiro e 31 de Outubro, somando-se aos novos casos o acompanhamento de mais 109 situações que transitaram de anos anteriores, num total de 212 pessoas acompanhadas, 90 por cento das quais mulheres.

Segundo a informação, não obstante as limitações provocadas pela covid-19, foram realizados 347 atendimentos presenciais e 1404 atendimentos telefónicos, sendo que em 75 por cento dos casos foi apresentada queixa. “Queremos deixar também uma mensagem de esperança. Este ano, dos 103 novos casos que acompanhámos, 38 libertaram-se, ao que acrescentamos mais 12 que estavam em acompanhamento desde anos anteriores. No total, vimos 50 mulheres tomarem conta dos seus destinos e libertaram-se do ciclo da violência”, acrescenta.

Esta instituição lembra que “a covid-19 veio agudizar e intensificar a pandemia da violência doméstica e da violência contra as mulheres”, e que no período de confinamento os pedidos de apoio “caíram vertiginosamente”, registando-se uma quebra de 75 por cento “pelas dificuldades em pedir ajuda que a coabitação implica”. “Neste momento, o número de pessoas em acompanhamento está já ao nível de 2019. Sabemos que há mais violência doméstica, mas também que o acumular de medos que a pandemia comporta, relacionados com a crise económica, com a convivência, com a menor mobilidade, os abafam. É importante que estejamos atentas e atentos, como colegas, como vizinhos, como familiares, porque a violência que agora vivemos poderá ter efeitos traumáticos a longo prazo”, alerta.

(Notícia completa na edição papel)

Comments are closed.