Covilhã perde em casa com o Feirense

Derrota por 0-2
1
410

O Feirense venceu este sábado fora o Sp. Covilhã, por 2-0, na segunda jornada da Liga Sabseg, impondo o seu futebol, perante uma equipa serrana que jogou muito com o coração e sem clarividência.

O Feirense entrou bem no jogo e cedo criou perigo junto da área do Sp. Covilhã, com o Tiago Dias a cruzar, com a bola a passar por toda a área dos serranos, logo aos dois minutos.

A primeira grande oportunidade de golo surgiu ao minuto 13, num remate de Tiago Dias a que Bruno Bolas correspondeu com uma grande defesa.

O Covilhã denotou sempre, ao longo da partida, imensas dificuldades em segurar a bola no seu meio campo, facto que foi aproveitado e bem pelo Feirense, através de contra-ataques rápidos.

Ao minuto 19, surge a segunda grande oportunidade do Feirense, a que, uma vez mais, o guardião serrano se impôs, com outra grande defesa.

Com o perigo a rondar a baliza de Bruno Bolas, adivinhava-se que mais minuto, menos minuto, os homens de Santa Maria da Feira iam chegar à vantagem no marcador, o que aconteceu ao minuto 34, através de mais um contra-ataque finalizado com um pontapé de bicicleta de Jardel. Estava feito o 1-0. Os serranos esboçaram uma ténue reação ao golo, mas a equipa continuava a falhar, sobretudo, no último passe, pois a bola não chegava com perigo à baliza defendida por Igor.

Aos 41 minutos, o Feirense marca o segundo golo, através de um excelente remate de Jorge Teixeira, que concluiu da melhor maneira mais um contra-ataque.

Na segunda parte, o Sporting da Covilhã bem tentou impor mais velocidade e chegar à baliza defendida por Igor, contudo, nada saia bem aos ‘leões da serra’ e a primeira grande oportunidade de golo só apareceu ao minuto 83, num forte remate de Agustin Marisco, mas a bola saiu ao lado da baliza.

A vencer por duas bolas a zero, os homens de Santa Maria da Feira mostravam-se confortáveis e controlaram o jogo a seu bel prazer até ao final da partida.

Antes do início da partida, no Estádio Santos Pinto, fez-se um minuto de silêncio em memória do ‘pequeno génio’ Fernando Chalana.