Duas fábricas espanholas de cerveja a caminho da Guarda

Empresas vão instalar-se na Plataforma Logística, segundo o autarca local
0
323

Duas fábricas espanholas de cerveja vão instalar-se na Plataforma Logística da Guarda, prevendo realizar um investimento global de 23,4 milhões de euros e criar, no arranque, 75 postos de trabalho, anunciou na passada segunda-feira, 21, o presidente da Câmara Municipal.

Segundo o autarca da Guarda, Sérgio Costa, o executivo municipal decidiu alienar quatro lotes de terreno da Plataforma Logística a um grupo de empresas de origem espanhola para instalação de duas fábricas de produção de cerveja. “Estamos a falar num investimento muito avultado. Estamos a falar na potencialidade de um investimento de 23,4 milhões de euros”, disse Sérgio Costa aos jornalistas no final da reunião quinzenal do executivo.

O responsável adianta que as empresas de produção de cerveja, cujo nome não mencionou, “estão a querer alicerçar esse investimento através dos fundos comunitários”.
E refere que, no seu arranque, as duas empresas “irão ter 75 postos de trabalho, podendo chegar até 90 a 100 postos de trabalho no futuro”.
“É desta forma que nós trabalhamos para o futuro da Guarda, fazendo o trabalho da formiga, para que nós possamos, naturalmente, poder anunciar depois à Guarda estes investimentos e a aprovação deste pedido que as empresas nos formularam por escrito”, declara Sérgio Costa.
O presidente da autarquia da cidade mais alta do País adianta que, nos últimos meses, decorreram “algumas conversas” e “algumas negociações” que culminaram com a proposta de alienação dos quatro lotes de terreno que hoje foi decidida, “para que no futuro próximo possam, naturalmente, iniciar os seus projectos e as suas obras”.
A Plataforma Logística da Guarda, edificada perto da localidade de Gata, nas proximidades da cidade, é uma plataforma transfronteiriça inserida na Rede Nacional de Plataformas Logísticas, contemplando áreas de transportes/logística, localização empresarial, inovação tecnológica e de apoio e serviços.
A plataforma representou um investimento de 34 milhões de euros e é considerada um “projeto âncora” para o desenvolvimento empresarial e económico da região, disponibilizando um total de 196 lotes.
No complexo empresarial estão instaladas várias empresas e um Parque TIR para apoio ao transporte internacional rodoviário de mercadorias.
O executivo municipal presidido por Sérgio Costa também deliberou, entre outros assuntos, adquirir um imóvel na vila de Gonçalo para instalar o futuro Centro de Interpretação da Cestaria, que será “um espaço multifacetado”.
“É essa uma velha ambição das gentes de Gonçalo, é essa uma velha ambição do município, mas que nunca ninguém teve a coragem de o querer fazer”, assumiu o autarca.

Comments are closed.