E o comboio voltou a rolar…

Ensaios no troço Covilhã/Guarda, da Linha da Beira Baixa
0
844

Aos quatro, cinco anos, Samuel Inácio, hoje com 34, ia frequentemente à estação de caminhos-de-ferro da Covilhã com o seu avô levantar encomendas, para este desenvolver a sua actividade comercial na Cidade Neve. “Foi aí que nasceu a minha paixão pelos comboios” conta ao NC este covilhanense, que na passada quarta-feira, 27, não quis perder pitada do regresso do comboio ao troço entre Covilhã e Guarda, na Linha da Beira Baixa. Veio, de propósito, da cidade egitaniense, onde tem a namorada, até à estação que fez parte da sua infância, na Covilhã, ver a chegada do comboio de ensaios, proveniente do Entroncamento, que pouco depois arrancaria para a Guarda. “Estou entusiasmado” garantia ao NC.

Na quarta-feira, 27 de Janeiro, a Infraestruturas de Portugal iniciou uma série de testes no troço que agora foi electrificado. Um comboio, com duas máquinas, uma a diesel e outra eléctrica, e uma carruagem, parou na estação da Covilhã já passava das 9 horas e 50, para, cerca de uma hora depois, arrancar em direcção à Guarda para um primeiro teste. Neste troço, quase 12 anos depois (fechou a 9 de Março de 2009), o comboio voltou a circular, ainda que de forma experimental, para gáudio de Samuel, que nos últimos anos tem colaborado com a página Linha da Beira Baixa, criada no Facebook, onde procura dar informação de tudo o que se relaciona com esta ligação ferroviária.

“A minha paixão pelos comboios é desde os quatro, cinco anos. Estive nas comemorações do centenário da Linha, promovida pela Associação 6 de Setembro, em frente à Câmara, e em tudo o que dizia respeito a isto. De pequeno, vinha à estação com o meu avô para ver os comboios. Os maquinistas achavam um piadão e deixavam-me entrar nas locomotivas, mexer nos botões, buzinar. A partir daí comecei a acompanhar tudo. Fiquei apaixonado pela ferrovia” frisa Samuel Inácio. “Bem vistas as coisas, há 30 anos que ando nisto. Tiro fotos, e vou tentando informar a comunidade” afirma.

Na quarta-feira, lá estava ele, na estação da Covilhã, onde toda a gente o conhece, pelo que o NC se foi apercebendo ao longo da conversa. Samuel registou fotograficamente esta primeira viagem de testes, “entusiasmado” até “pelo acompanhamento que temos vindo a fazer das obras, eu, juntamente com a Linha da Beira Baixa, na pessoa do Antero Pires. Para mim, é um dia marcante. É bom vermos algum material de regresso. Esperemos que arranque no serviço comercial o quanto antes” deseja o covilhanense.

(Reportagem completa na edição papel)

Comments are closed.

Mais Notícias