Empate prolonga seca de vitórias

O Covilhã esteve em vantagem, mas permitiu a igualdade na segunda parte e soma seis jogos sem vencer no campeonato
1
131

Ana Ribeiro Rodrigues

Depois de ter sido goleado pelo Casa Pia e de ter saído de Lisboa sem honra nem glória, o Sporting da Covilhã recebeu na oitava jornada da II Liga de futebol, no domingo, o Nacional, e conseguiu, sem encantar, ser superior ao adversário e criar mais ocasiões para marcar, mas a boa reacção não foi suficiente para conquistar os três pontos e a formação orientada por Wender somou o sexto jogo no campeonato sem conhecer o sabor da vitória.

Melhores na primeira metade, os serranos chegaram à vantagem logo aos 15 minutos, num cabeceamento de Jô, que voltou a marcar passadas sete partidas, mas os insulares aproveitaram a entrada em falso do Covilhã no reatamento para reporem a igualdade, aos 48 minutos, por Róchez.

No primeiro tempo os ´leões da serra`, ainda sem os lesionados Gilberto, Medeiros e Jaime e sem os castigados Arnold e Bruno Bolas, foram a única equipa a criar ocasiões para marcar e a conseguirem criar alguns desequilíbrios.

Ao primeiro quarto de hora Jean Felipe, um dos melhores em campo, cruzou da direita e Jô, na pequena área, cabeceou certeiro.

Ahmed também tentou a sorte, mas falhou o alvo. Camacho tentou responder, com um remate frouxo que foi parar às mãos de Navacchio. Na outra área foi Jean Felipe a procurar o caminho da baliza, para a defesa fácil do guardião insular.

Ahmed podia aumentar a contagem aos 40 minutos, com um pontapé quase do meio-campo, mas Rui Encarnação, na estreia pelos madeirenses, que não trouxeram ao Estádio José Santos Pinto guarda-redes suplente, defendeu para canto com uma palmada por cima da trave. Ainda antes do intervalo foi novamente o Covilhã a assustar, por intermédio do central André Almeida.

Notícia completa na edição papel do NC.