Festival Internacional de Guitarra do Fundão homenageia Eugénio de Andrade

Este ano o evento, marcado para Setembro, terá mais dois espetáculos e propõe uma “maior abrangência” dos géneros musicais e de sonoridades, com representantes de cinco países e cerca de 60 músicos em palco.
0
201

O Fundão recebe, em Setembro, a segunda edição do Festival Internacional de Guitarra, que reunirá artistas de países europeus e músicos fundanenses, e que apresenta 12 concertos, um dos quais inspirado em Eugénio de Andrade.

O evento, idealizado pelo professor e músico Pedro Rufino, é organizado numa parceria entre a Câmara do Fundão e a Associação Concordis e vai decorrer durante seis dias (02, 03 e 04 de Setembro e depois a 09, 10 e 11 de Setembro), sendo que a cada dia são apresentados dois artistas de diferentes estilos musicais.

O objectivo é manter a aposta numa programação “eclética e multidisciplinar”, apresentando ao público diferentes géneros e criando mais uma oportunidade para apoiar os músicos que se vão formando no Fundão, apontou o diretor artístico do festival, Pedro Rufino, na apresentação.

“A cada dia, não temos apenas um concerto. Teremos dois, porque são concertos partilhados em que o público poderá assistir, por exemplo, a um momento erudito e logo a seguir a um momento mais tradicional ou étnico”, afirmou Pedro Rufino.

Segundo especificou, este ano o festival terá mais dois espetáculos e propõe uma “maior abrangência” dos géneros musicais e de sonoridades.

“Teremos cinco países da Europa (Portugal, Espanha, Itália, França e Irlanda), teremos cerca de 60 músicos em palco e também teremos mais géneros musicais, designadamente música tradicional, clássica, antiga e contemporânea, bem como jazz e folk”, referiu.

Um dos destaques vai para o concerto de abertura que contará com Pedro Mestre, que estará em palco com a viola campaniça e que, numa parte do espetáculo, será acompanhado pelas 25 vozes masculinas do Rancho de Cantadores de São Bento.

A programação também conta com os Four Winds (um grupo de música irlandesa) e com um dos mais afamados guitarristas de França (Eduardo Ramos, que apresentará sons do Norte de África com o seu alaúde.

O espectáculo de encerramento promete ser outro dos momentos altos, dado que foi pensado exclusivamente para este festival e tem como inspiração poemas de Eugénio de Andrade, de modo a contribuir para as celebrações dos 100 anos do nascimento do poeta, que é natural de Póvoa de Atalaia, concelho do Fundão.

Esta obra foi criada pelo compositor Eli Camargo Júnior e tem o nome de “José e o Vento”, remetendo para o nome de baptismo de Eugénio de Andrade (José Fontinhas) e para o facto de muitos dos seus poemas terem alusões ao vento.

Este concerto será interpretado por Manuel Toucinho (Fundão) e Pedro Rufino nas guitarras, Carlos Alves no clarinete, Judicael Perroy na guitarra a solo e Maria Mendes (Fundão) no canto lírico.

O presidente da Câmara do Fundão, Paulo Fernandes, também destacou a importância do Festival Internacional de Guitarra do Fundão por ir ao encontro da estratégia de programação municipal, que conjuga a programação própria com as propostas de entidades, curadores, artistas ou sociedade civil.

Paulo Fernandes destacou ainda a relevância deste festival por ajudar a romper a menor oferta que geralmente existe em regiões do Interior e também por cruzar a programação cultural com o objetivo fulcral de ajudar a dar visibilidade aos jovens talentos do Fundão, contribuindo para alimentar o seu vínculo ao concelho.

“Sabemos que vão seguir os estudos lá fora e vão ter sucesso lá fora, mas queremos que nunca desliguem do Fundão”, apontou.

Este festival tem um orçamento de 30 mil euros e a programação completa pode ser consultada nas páginas oficiais do município.

Comments are closed.