Final do campeonato com o credo na boca e calculadora na mão

Serranos empataram com o Leixões e complicaram as contas da manutenção. Equipa reclamou grande penalidade não assinalada e Samu desperdiçou ocasião flagrante ao cair do pano
0
305

O Sporting da Covilhã, com 1392 espectadores nas bancadas, a maior assistência da época, empatou na tarde de domingo 1-1 com o Leixões, na 31.ª jornada da II Liga de futebol, foi ultrapassado pelo Viseu e pelo Trofense e voltou a cair na “zona vermelha”, para o lugar de `play-off`, com 30 pontos, mais um do que o Varzim, o adversário da próxima ronda, e menos um do que o Trofense, a primeira equipa acima dos lugares de descida.

Os serranos marcaram ainda na primeira parte, por Rui Gomes (37 minutos), e João Oliveira (50 minutos), acabado de entrar em campo, anulou a desvantagem.

A formação orientada por Leonel Pontes introduziu mais duas vezes a bola na baliza, por intermédio de Helitão, mas o árbitro da partida considerou a posição do central irregular. Aos 65 minutos os serranos reclamaram grande penalidade sobre Rui Gomes, o mais inconformado jogador do Covilhã, mas Luís Godinho mandou seguir.

O Covilhã tem vantagem no confronto directo sobre o Varzim, o Trofense e o Viseu, mas tem de vencer os poveiros no próximo sábado, para continuar a lutar pela permanência no segundo escalão do futebol nacional, já que no último jogo em casa, em 7 de Maio, recebe o Rio Ave, segundo classificado e candidato à subida, enquanto na derradeira jornada os Leões da Serra se deslocam à Reboleira, para jogarem com o Estrela da Amadora.

O Sporting da Covilhã entrou em campo com apenas um ponto acima da zona de descida e a precisar vencer para continuar a depender de si para não baixar na tabela classificativa, mas foi a formação orientada por José Mota quem criou a primeira ocasião de golo, travada por uma defesa vistosa de Léo. Logo aos três minutos, Wender cruzou atrasado para a entrada da área e Zag viu o guardião serrano negar-lhe o golo.

O emblema de Matosinhos entrou melhor na partida, mais pressionante, a circular bem a bola, mas foi recuando no terreno e os serranos foram-se aproximando com maior facilidade da baliza adversária.

Rui Gomes atirou aos cinco minutos às malhas laterais, Dini, numa jogada de insistência, rematou ao lado, Jean Felipe tentou a sorte em zona frontal e Kukula, de cabeça, falhou o alvo, mas Rui Gomes inaugurou o marcador, aos 37 minutos. Tiago Moreira cruzou, Kukula não conseguiu cabecear e Rui Gomes apareceu ao segundo poste a rematar certeiro para o fundo das redes.

Ao intervalo, João Oliveira entrou para o lugar de Coronas e, aos 50 minutos, repôs a igualdade. Kiki serviu o atacante, que veio de trás, foi mais rápido do que os defesas do Covilhã e bateu Léo Navacchio.

Kukula respondeu, mas Beaunardeu resolveu e, aos 65 minutos, os serranos reclamaram grande penalidade sobre Rui Gomes, não assinalada.

O Leixões reagiu por Zag, que, aos 73 minutos, obrigou Léo a desviar por cima da barra, enquanto o serrano Rui Gomes voltou a criar perigo, mas o remate cruzado saiu rente ao poste. Pouco depois, foi Helitão a falhar o alvo.

Já nos descontos, a passe de Kukula, Samu, ao segundo poste, só tinha de encostar para carimbar a vitória, mas desperdiçou uma ocasião flagrante e a falta de eficácia deixa o Sporting da Covilhã numa posição difícil. O empate mantém o Leixões no oitavo lugar, com 45 pontos.

Comments are closed.