Última fase do desconfinamento será nesta semana

Alguns estabelecimentos comerciais, como bares e discotecas, voltam a operar a partir de 1º de Outubro; índice de vacinação completa em Portugal é de 83,4 por cento
1
310

Com 83,4 por cento de taxa de vacinação completa contra a Covid-19, o governo português prepara para 1º de Outubro a terceira e última fase do desconfinamento. Entre as mudanças está a desobrigação de uso de máscaras na rua e em locais abertos, o retorno das festas e discotecas, a retirada da limitação de clientes nos restaurantes e o fim da exigência de certificado digital em restaurantes, estabelecimentos turísticos e alojamento local.

O primeiro-ministro, António Costa, lembrou que o calendário apresentado quando havia 57% da população com a vacinação completa previa que em Outubro haveria o terceiro e último passo, contando com os 85% de inoculações. Na situação atual, Portugal está bem perto desse índice e apresenta outros números favoráveis, como a taxa de incidência de 140 infeções por 100 mil habitantes e um Rt de 0,81.

Portugal está entre os primeiros na percentagem de população com vacinação completa, à frente de vários outros países da Europa e também de outros países do mundo. Isso dá ainda mais segurança ao governo em avançar na etapa do desconfinamento.

O que muda partir de 1º de Outubro:

  • Portugal continental passa a estar em Situação de Alerta;
  • Abertura de bares e discotecas para pessoas com certificado digital ou teste negativo;
  • Fim dos limites de horários;
  • Restaurantes sem limite máximo de pessoas por grupo;
  • Fim da exigência de certificado digital em restaurantes, estabelecimentos turísticos e alojamento local;
  • Fim do limite de lotação no comércio, casamentos e batizados e espetáculos culturais;
  • Certificado digital ou teste negativo necessário para viagens marítimas e aéreas, em visitas a lares e estabelecimentos de saúde. O mesmo é verificado para acesso a grandes eventos culturais, desportivos ou corporativos;
  • Máscara continua a ser obrigatória em transportes públicos, lares, hospitais, salas de espetáculo e eventos, grandes superfícies e locais interiores de permanência prolongada;
  • Máscaras deixam de ser obrigatórias nos recreios das escolas. A DGS irá também atualizar as normas sobre confinamento nos próximos dias;
  • A máscara também deixa de ser obrigatória no comércio local;
  • Eliminação da testagem em locais de trabalho com mais de 150 trabalhadores;
  • Fim da limitação à venda e consumo de álcool;
  • Fim da necessidade de certificado ou teste nas aulas de grupo em ginásios.