Guardião foi obstáculo a mais um triunfo serrano

Treinador Wender considerou injusto o empate do Sporting da Covilhã, na passada segunda-feira, a uma bola, frente ao Vilafranquense, em jogo da terceira jornada da Segunda Liga
1
297

No final da partida, Wender, treinador do Covilhã, responsabilizou o guardião forasteiro, Luís Ribeiro, pelos dois pontos deixados pelos serranos no terreno do Vilafranquense. “Ele pegou tudo” disse o técnico brasileiro, que considerou injusto o empate do Sporting da Covilhã, na passada segunda-feira, a uma bola, no terreno do Vilafranquense, em jogo da terceira jornada da Liga SABSEG (Segunda Liga).

Depois de duas vitórias (frente a Feirense, fora, e Viseu, em casa), os “leões da Serra” partiam como favoritos na deslocação ao terreno da equipa ribatejana, que ainda não somava qualquer ponto. E desde cedo o Covilhã pegou no jogo, criando logo nos primeiros minutos duas soberanas oportunidades de golo, que o guardião contrário, Luís Ribeiro, negou com grande categoria. Aos quatro minutos, grande jogada do ataque serrano pela direita, cruzamento de Arnold e, em salto de peixe, o sempre perigoso Jô a cabecear, com Luís Ribeiro, atento, a defender. Dois minutos depois, o guarda-redes dos ribatejanos esteve novamente em destaque ao travar nova investida do avançado, que rematou rasteiro à entrada da pequena área, após um cruzamento atrasado de Diogo Almeida. Uma defesa “à queima” que mantinha a zeros a baliza ribatejana.

O Vilafranquense respondeu aos nove minutos. Cruzamento da direita, saída precipitada de Leo e Leo Cordeiro, de cabeça, a atirar por cima da baliza. Resposta pronta do Covilhã, nuns primeiros minutos intensos, com Ahmed, aos 13 minutos, descaído sobre a direita, a rematar para defesa segura do guardião contrário. Até ao intervalo, o ritmo baixou e não mais os guarda-redes foram chamados a intervir.

Leia o texto completo na edição em papel do NC.