Habitação no concelho com investimento de 14,8 milhões

Nos próximos seis anos
0
421

A Estratégia Local de Habitação (ELH) do concelho da Covilhã, apresentada e aprovada por unanimidade na reunião camarária de sexta-feira, 26, prevê um investimento total de 14,8 milhões de euros ao longo de seis anos, para resolver os problemas de carência habitacional, e o levantamento feito identificou 221 famílias nessas circunstâncias.

Dessas famílias, 183, além de viverem em residências sem condições próprias, estão também numa situação de carência económica, o que as torna elegíveis para o programa 1.º Direito, programa do Governo vocacionado para os mais desfavorecidos, que financia a fundo perdido, através das autarquias, a resposta a uma habitação digna.

No caso das 38 famílias que não reúnem os requisitos para se recorrer ao 1.º Direito, terão de ser criados “mecanismos complementares”, explicou Leonel Ferreira, arquitecto da consultora Sociedade Portuguesa de Inovação. Entre os 183 agregados que, além das deficientes condições de habitabilidade, se encontram em situação de carência económica, 19 são proprietários das habitações, o que significa que têm de ser os próprios a apresentarem a sua própria candidatura aos instrumentos existentes, à margem do município.

A Câmara da Covilhã fez um levantamento dos recursos habitacionais, dos existentes e dos que têm de ser mobilizados, e foi feito um diagnóstico do estado em que se encontra o parque habitacional, assim como das necessidades.

O município é proprietário de 690 fogos de habitação social, 646 dos quais estão ocupados e 44 se encontram livres. Entre os que não estão habitados, 14 estão prontos a sê-lo e 30 precisam de obras de reabilitação.

(Notícia completa na edição papel)

Comments are closed.