Investimento no troço ferroviário de ligação à Covilhã é “bem-vindo”

Autarca da Guarda elogia investimento
0
602

O presidente da Câmara Municipal da Guarda, Carlos Chaves Monteiro, disse hoje que o troço da Linha da Beira Baixa entre Guarda e Covilhã, hoje inaugurado pelo Governo, é um investimento “bem-vindo” para a região.

O autarca disse à agência Lusa que o dia de hoje é “um momento histórico” para a cidade mais alta do País e para a região, e lembrou que “havia uma ansiedade enorme” para que a obra fosse executada.

“É um privilégio poder estar neste acto de inauguração, sendo certo que entendemos, também, que a rapidez com que a ligação devia ser feita seria um eixo estratégico deste projecto, o que me parece que não terá acontecido. Mas, de qualquer maneira, é um investimento bem-vindo para a região”, disse Carlos Chaves Monteiro.

O autarca falava na cidade da Guarda, minutos antes de fazer a viagem inaugural no comboio que saiu da estação daquela cidade pelas 12:00, com destino à Covilhã, onde iria decorrer a cerimónia de inauguração da obra, com a presença, entre outros, do ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, e da ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa.

O presidente da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela, Luís Tadeu, também sublinhou que a inauguração do troço da Linha da Beira Baixa entre Guarda – Covilhã é “um momento importante”, nomeadamente para os habitantes nos concelhos que são directamente servidos pela via ferroviária (Guarda, Sabugal, Belmonte e Covilhã).

Os habitantes “reganham uma nova via de circulação” entre os territórios, com “mais segurança”, embora sem a rapidez com que “todos gostariam, face à dimensão do investimento realizado”, apontou Luís Tadeu.

O autarca considerou, ainda, que a nova via será “muito importante” na ligação à Guarda, dado que a Linha da Beira Alta vai entrar em obras.

O ex-presidente da Câmara da Guarda e actual eurodeputado, Álvaro Amaro, que esteve na estação da Guarda, reafirmou que a ligação hoje inaugurada, entre as Linhas da Beira Alta e da Beira Baixa “é a grande aposta estratégica” da cidade da Guarda e da região.

“Para as próximas décadas, é o projecto mais importante. Fui sempre um defensor dessa ideia. Que não se perca de vista o grande projecto que é a plataforma [ferroviária]. O grande projecto de futuro para a Guarda e para a região”, afirmou o eurodeputado.

O ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, e a ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, acompanhados do secretário de Estado das Infraestruturas, Jorge Delgado, fizeram hoje a viagem de comboio entre Guarda e Covilhã, para assinalar a conclusão da modernização da Linha da Beira Baixa, seguindo-se, uma cerimónia, na estação da Covilhã.

O programa inclui, entre outros momentos, a apresentação da empreitada, pelo presidente da Infraestruturas de Portugal, António Laranjo, do presidente da CP- Comboios de Portugal, Nuno Freitas, do presidente da Câmara Municipal da Covilhã, Vítor Pereira e do ministro Pedro Nuno Santos.

O troço ferroviário da Linha da Beira Baixa entre as cidades da Guarda e da Covilhã, que estava fechado desde 2009, reabriu no domingo ao serviço comercial após obras de requalificação e de electrificação.

O investimento total no projecto de modernização do troço foi de cerca de 77 milhões de euros.

Comments are closed.