João Vasco Caldeira deixa CDS/PP

Presidente da concelhia da Covilhã demite-se e deixa partido que, diz, "não existe"
0
395

O presidente da Comissão Política Distrital do CDS-PP de Castelo Branco e também da Concelhia da Covilhã, João Vasco Caldeira, demitiu-se dos dois cargos e pediu a desfiliação do partido.

“Tomei esta decisão porque o partido em que entrei pelo meu pé e no qual me filiei, neste momento, já não existe. Neste momento, não existe o CDS da direita plural. Existe um CDS balcanizado com uma corrente que, pura e simplesmente, censura todas as opiniões divergentes e que indica a porta de saída a quem não pensa da mesma forma”, afirma.

João Vasco Caldeira, que tinha sido eleito em Setembro de 2020, critica a decisão de adiar o congresso electivo, que estava marcado para 27 e 28 de Novembro, e frisa que se trata de “suspensão da democracia interna”, que não permite pacificar o partido e que põe em causa a possibilidade de resgatar o CDS-PP.  Entre as razões para sair, aponta ainda o tratamento que é dado aos militantes que não concordam com a actual direção, os quais são, segundo diz, apelidados de “terroristas”. Realça igualmente que, independentemente de quem apoiou para a liderança do partido, continuou sempre a apresentar um “trabalho leal”, designadamente nas últimas eleições autárquicas em que o CDS-PP cresceu no distrito. Questionado sobre a situação da Distrital, explica que os restantes elementos se mantêm em funções e que o órgão mantém quórum.

Já na Comissão Política Concelhia da Covilhã, órgão que também era presidido por João Vasco Caldeira, verifica-se uma demissão em bloco, cabendo agora à Comissão Política Nacional decidir o que fazer.

Na sequência do adiamento do congresso electivo do CDS-PP, marcado para 27 e 28 de Novembro, algumas personalidades anunciaram a saída do partido, designadamente o antigo vice-presidente do partido, Adolfo Mesquita Nunes, que nas últimas autárquicas encabeçou a lista da coligação CDS-PP/PSD/IL à Assembleia Municipal da Covilhã, tendo sido eleito. O ex-ministro da Economia António Pires de Lima, a antiga deputada Inês Teotónio Pereira ou o ex-dirigente nacional centrista João Maria Condeixa também integram a lista de militantes que anunciaram a desfiliação do CDS-PP.

Comments are closed.