Jorge Fael afirma que último mandato mostrou a falta que a CDU faz na Câmara

O candidato comunista frisa que a coligação que representa “é a alternativa” e alerta quem queira “penalizar o PS” que “não se iluda” e não “arrisque o voto na direita”
0
403

Este mandato “mostrou que a maioria absoluta do PS não resolveu os principais problemas e necessidades das populações” e revelou “a falta da CDU na Câmara Municipal, onde não existiu oposição”, disse no final da tarde de sexta-feira, 21, no Pelourinho, Jorge Fael, o candidato da Coligação Democrática Unitária à autarquia covilhanense.

“A CDU é a alternativa”, salientou o candidato comunista às próximas eleições autárquicas, que pede que quem queira “penalizar o PS”, não “se iluda” ao “arriscar o seu voto na direita”.

“Não há alternativa com aqueles que no passado recente foram responsáveis, no plano nacional, pela destruição económica e social, e cúmplices, no plano local, com a arrogância, a especulação, a privatização da água, do saneamento, do espaço público”, sustentou Jorge Fael, que repete a candidatura de 2009 à Câmara da Covilhã.

A coligação entre o Partido Comunista e o Partido Ecologista Os Verdes promete “um combate por uma gestão qualificada, transparente, exigente, próxima, participativa e rigorosa”.

Perante algumas dezenas de apoiantes, separados por cadeiras que ajudaram a manter o distanciamento físico, Jorge Fael acusou a maioria liderada pelo socialista Vítor Pereira de não ter estimulado a participação nem criado “as condições para vencer os bloqueios que impedem e ameaçam o desenvolvimento do concelho”, comparando com os eleitos da CDU, que “nunca faltaram aos pequenos e grandes combates”, desde às portagens ao Bairro do Património, desde a exigência da factura da água à reposição dos descontos nos passes sociais, elencou.

(Notícia completa na edição papel)

Comments are closed.