Jovem covilhanense ordenado sacerdote em Aveiro

Fábio Freches, 33 anos, natural da Covilhã, é ordenado sacerdote no próximo sábado, 12, na Sé de Aveiro
0
2830

Notícias da Covilhã: Quem é o futuro Padre Fábio Freches?

 

Fábio Freches: O Fábio, antes de tudo, é um cristão baptizado, que nasceu a 12 de Janeiro de 1987 na Covilhã, sendo que os primeiros anos de vida foram passados entre o Rodrigo e o Bairro de S. Vicente de Paulo, em Cantar Galo. O primeiro local, era onde viviam os meus pais e o segundo, onde morava a minha avó que durante a semana tomava conta dos netos. Tenho uma irmã mais velha que eu cerca de 12 anos. Por isso sou o filho mais novo. Depois de ter frequentado as escolas da Covilhã e da Guarda, para terminar o secundário, fiz um curso de equivalência à frequência de Técnico de Gestão Ambiental na Escola Secundária Campos Melo. Terminado o secundário, vim para a Universidade de Aveiro, onde acabei a licenciatura em Técnico Superior de Justiça. Depois de ter feito estágio no Departamento de Acção Penal de Aveiro, por cá fiquei.

 

Como vai um jovem covilhanense integrar-se no presbitério da Diocese de Aveiro?

 

A esta questão já respondi um pouco na pergunta anterior. Apenas ressalvo que a caminhada vocacional e a descoberta da vocação começaram a surgir na Covilhã, com pessoas e rostos concretos, tendo mesmo chegado a frequentar o pré-seminário e o seminário da Guarda. Entretanto, em diálogo com os formadores, por não ter terminado o 12º ano, e por motivos familiares, acabei por sair. Mas o “bichinho” da vocação sempre permaneceu.

O ficar em Aveiro prende-se com o facto de que, desde o primeiro dia que aqui cheguei, devido à minha paixão pelo mar, eu disse que era aqui que queria viver. Muitas vezes me questionaram se não queria vir para a minha Diocese de origem, mas devido às razões que referi anteriormente e também ao acolhimento, carinho, estima e apoio que recebi dos padres e bispos desta Diocese, optei por fazer este caminho de descoberta vocacional na Diocese de Aveiro. Sinto Aveiro como a minha casa.

(Entrevista completa na edição papel do NC)

Comments are closed.

Mais Notícias