Livro assinala uma década de existência do Wool

Festival de arte urbana da cidade arranca no sábado, 11, com a apresentação de um livro que celebra uma década de existência do mesmo
0
288

É apresentado no próximo sábado, 11, pelas 15 horas, no salão nobre da Câmara da Covilhã, um livro que faz a resenha dos dez anos de existência do Festival de Arte Urbana da Covilhã- Wool.

É o arranque do certame, que decorre até dia 19, e promete trazer à cidade diversos artistas para novas intervenções nas ruas da Covilhã.

O livro, com mais de 300 páginas, faz uma retrospetiva do Festival Wool, através de textos de curadores, investigadores, designers e artistas situados no arranque do livro, como uma espécie de abertura reflexiva para o que segue. “E o que se segue é uma década de arte em espaço público. Uma narrativa organizada por anos que abre uma reflexão sobre o Wool enquanto lugar de encontro e apresenta os artistas com quem colaborou, fotografias e palavras que detalham a missão desta iniciativa e importância no território, nomeadamente em relação ao trabalho que tem desenvolvido na Covilhã, mas também por todas as restantes geografias nacionais e internacionais por onde actuou” explica a organização em comunicado. Após a apresentação será feita uma breve visita guiada ao Roteiro Wool. O livro já pode ser adquirido no espaço “A Tentadora”, no número 21 da Rua Alexandre Herculano, ou através do mail info@woolfest.org.

Este ano, o Wool, festival de arte urbana mais antigo de Portugal, tem como destaques os artistas Cinta Vidal, o duo Reskate e os portugueses Ruído e Francis.co “Depois de celebrar uma década de existência no ano de 2021, o evento volta a trazer o melhor da arte urbana nacional e internacional a esta cidade da Beira Baixa [Covilhã],”, refere a organização, em comunicado.

Cinta Vidal, o duo Reskate e os portugueses Ruído e Francis.co compõem o grupo de artistas que irá actuar em pleno Centro Histórico. O Wool 2022 volta a convocar “alguns dos mais reconhecidos talentos da arte urbana nacional e internacional”, entre os quais se destaca a espanhola Cinta Vidal, uma das mais talentosas e reconhecidas artistas internacionais da actualidade”, que marca actualmente presença em inúmeros países do mundo. A presença no festival desta artista era ambicionada há muito pela organização.

A par de CintaVidal, os Reskate, uma dupla de artistas visuais de Barcelona, cujo trabalho é fortemente influenciado pela pintura clássica de letreiros, pela cultura popular e pelo design gráfico, vão também marcar presença na cidade. De entre os talentos nacionais, o festival recebe os Ruído, projecto criativo que junta os artistas Draw e Contra, cujo trabalho se materializa num diálogo simbiótico entre o universo monocromático, figurativo e profundamente humano de Draw, e a abordagem colorida, abstrata, geométrica e textural de Contra. O evento recebe ainda Francis. co, que se retrata como ilustrador compulsivo e que vai actuar na zona da antiga Judiaria.

Comments are closed.