Mutualista Covilhanense vence prémio nacional “Inovar para Melhorar”

Distinção é anualmente atribuída pela União das Mutualidades Portuguesas
0
249

A Mutualista Covilhanense é a vencedora da edição deste ano do Prémio “Inovar para Melhorar”, distinção atribuída anualmente pela União das Mutualidades Portuguesas ao melhor projecto nacional desenvolvido no seio do movimento mutualista, considerado modelo de inovação e exemplo de boas práticas. O projecto contemplado foi a Casa de Acolhimento de Crianças e Jovens Estrangeiras Não Acompanhados (C/JENA), instalada na Casa Moura, no centro da cidade da Covilhã, valência que desde Dezembro de 2020 acolhe menores de idade oriundos de campos de refugiados da Grécia, onde chegaram sem pais ou adultos que por eles sejam responsáveis.

O anúncio foi feito durante as comemorações do Dia Nacional do Mutualismo, que decorreram a 27 de Maio, em Vila Nova de Gaia, e o galardão foi entregue a Nelson Silva, presidente da Direcção da Mutualista Covilhanense, pelas mãos de Manuel Maio, da CASES – Cooperativa António Sérgio para a Economia Social. O júri da edição de 2022 do Prémio Inovar para Melhorar, independente, foi constituído por Eduardo Graça (Presidente da CASES), Filipe Almeida (Presidente da Estrutura Portugal Inovação Social) e Pedro Portugal Gaspar (Inspector-Geral da ASAE – Autoridade de Segurança Alimentar).

“É para nós uma enorme honra sermos distinguidos com este prémio, que vem reconhecer todo um trabalho na área da ajuda humanitária que temos vindo a desenvolver e que, dada a nobreza da causa, foi um projecto que decidimos abraçar desde a primeira hora”, reage Nelson Silva, em comunicado. A Casa de Acolhimento da Mutualista Covilhanense foi criada ao abrigo de um compromisso assumido pelo Estado português em 2020 de acolher 500 menores em solo nacional. Na sequência desse compromisso, foram criadas cinco valências do género em Portugal, todas geridas por entidades do Sector Social, sendo que a da Mutualista Covilhanense é a única localizada no Interior do país e gerida por uma mutualidade.

Até ao momento, a Casa de Acolhimento da Associação da Covilhã acolheu 25 jovens, originários de nove países: Argélia, Paquistão, Egito, Bangladesh, Síria, Somália, Iraque, Palestina e Afeganistão. A missão da Mutualista Covilhanense é a de, com o recurso a uma equipa altamente especializada, acolher os jovens temporariamente, até à sua integração e plena autonomização.

A valência está instada num edifício construído em 1936 que os herdeiros do industrial Álvaro de Moura doaram à Mutualista para fins sociais em 2010 e que, após uma requalificação na ordem dos 750 mil euros, ganhou o nome de “Casa Moura”, em homenagem à família. Inicialmente, o imóvel foi requalificado com vista à criação de um hostel social, mas viria a funcionar como Casa de Acolhimento a convite do Estado português. Ao serviço da valência estão vários espaços distribuídos por 3 pisos e um sótão, com vários dormitórios, diversos gabinetes, um refeitório e três copas e, ainda, uma ampla área de lazer externa.

Esta é a terceira vez que a Mutualista Covilhanense vence o Prémio “Inovar para Melhorar”, tendo sido distinguida pela primeira vez em 2016 pelo seu projeto da Unidade Móvel de Saúde, ano da sua implementação no terreno, e depois em 2017, com o “Horizonte das Demências”, através do qual criou uma Sala Snoezelen e o GAFPDA – Gabinete de Apoio ao Familiar e Pessoa Doente de Alzheimer.

Comments are closed.