“Não vou pagar do meu bolso para haver transmissão online das assembleias”

A não transmissão das sessões da Assembleia Municipal de Belmonte levou a acesa troca de palavras entre o presidente da mesa, Amândio Melo, e o líder da bancada do PSD, António Cardoso Marques
0
425

A não transmissão da última reunião da Assembleia Municipal de Belmonte, na passada sexta-feira, 29 de Abril, provocou uma acesa troca de palavras entre o presidente da mesa, Amândio Melo (PS) e o líder da bancada do PSD, António Cardoso Marques.

Marques recordou que, há cerca de três meses, tinha sido aprovada uma recomendação para que as reuniões pudessem ser transmitidas online, mas passado este tempo, ainda não foi desta que tal aconteceu. Amândio Melo justificou com a falta de meios técnicos, mas assim que os haja, “fá-lo-emos”. Uma resposta que não agradou a Marques. “Faltam meios técnicos? Mas houve nestes últimos dias (festas do concelho). É preciso fomentar que o povo aceda à casa da democracia” disse o deputado.

António Cardoso Marques, bem como outros elementos da bancada “laranja”, criticou a hora da reunião (10 da manhã de um dia de semana), dizendo que tal é obstáculo à participação popular, lembrou a ausência de reuniões da Comissão Permanente já constituída e a falta de resposta a requerimentos por si apresentados. “Cá estamos sem cumprir os valores de Abril. Foram entregues em Dezembro e o que temos até agora é desprezo e falta de colaboração democrática” acusa.

Amândio Melo não gostou. “Não venha acusar-me de não fazer coisas que não posso fazer. Não vou pagar do meu bolo para haver transmissões online. Se o município tiver meios, fará” garantiu, pedindo ao deputado o PSD “mais moderação” nas palavras. “Nunca revelei desprezo por nada na minha vida. O senhor não está a dar aulas numa universidade, está numa assembleia municipal” disse. Sobre a hora da reunião, “compete à mesa definir. Vocês (PSD) não vão tomar de assalto o que são as decisões dos outros” garantiu.

Já a deputada socialista, Patrícia Eusébio, disse que o horário da assembleia é “um não assunto”, uma vez que “nunca haverá consenso” e acredita que a transmissão online da mesma “será uma realidade” a seu tempo. “A participação dos munícipes não depende de horários, mas sim da ligação à realidade política” afirma.

Comments are closed.