Novo vinho kosher produzido em Figueira de Castelo Rodrigo

Tinto “Belmonte” terá produção de duas mil garrafas e vem no seguimento do que a autarquia já fazia com a extinta Adega da Covilhã
1
514

É um novo vinho tinto, chamado “Belmonte”, kosher, e por isso virado para o mercado judaico, que já está a ser produzido na Adega Cooperativa de Figueira de Castelo Rodrigo. Foi dado a conhecer na última reunião pública do executivo, na passada quinta-feira, 20, e, segundo o presidente da autarquia, António Dias Rocha, terá, para já, uma produção de duas mil garrafas.

“Temos um acordo de duas mil garrafas, mas não terá de ser sempre o mesmo vinho. Trinta por cento das garrafas foram com este vinho, mas eles têm um acordo com um rabino que está a acompanhar a produção e espero que a qualidade aumente, de ano para ano. Sabemos que as uvas de Figueira de Castelo Rodrigo têm uma grande qualidade, e a adega já deu provas de grande qualidade. Se o vinho for tão bom como apresentação, estamos no bom caminho. Gostava muito que uma das quatro adegas que existem em Belmonte pudesse avançar com um vinho kosher” deseja o presidente da Câmara de Belmonte.

O autarca diz que, talvez os custos inerentes à produção de vinho kosher retraia os produtores locais. “Não é como um vinho normal. É preciso pagar ao rabino, a uma entidade judaica, e há todo um processo de acompanhamento” afirma, lembrando que esta aposta vem no seguimento do que já se fez, há anos atrás, com a Adega Cooperativa da Covilhã. “Já tivemos um vinho de grande qualidade, da Adega Cooperativa da Covilhã. Infelizmente, a adega acabou, mas ainda hoje, gente que o tem diz que é bom. Eu, infelizmente, já não tenho nenhuma garrafa” frisa.

(Notícia completa na edição papel)