“Outubro Rosa” alerta para prevenção e diagnóstico do cancro da mama

Núcleo Vencer e Viver da Covilhã acentua a importância de prestar atenção aos sinais de alerta, para detectar precocemente a doença e aumentar a probabilidade de sucesso no tratamento
1
326

Ana Ribeiro Rodrigues

O Núcleo Vencer e Viver da Covilhã, composto por sobreviventes do cancro da mama, promoveu no último sábado, 16, a habitual campanha de sensibilização para a prevenção e diagnóstico da doença, este ano, pela segunda vez, devido à pandemia provocada pela covid-19, sem a caminhada que costuma reunir centenas de pessoas.

No Jardim Público da Covilhã, as voluntárias alertaram para a necessidade de se estar atento aos sinais de alerta, para que a doença seja detectada o mais cedo possível, de forma a aumentar o sucesso do tratamento.

Junto à banca com vários materiais para venda, no âmbito da iniciativa “Outubro Rosa”, Helena Oliveira, responsável pelo núcleo na Covilhã, explica que, devido à pandemia, o grupo deixou de fazer voluntariado no hospital, de acompanhamento de pessoas com a doença, embora espere em breve ver retomado esse trabalho, numa outra sala mais próxima do exterior do Centro Hospitalar Universitário da Cova da Beira.

Apesar de as voluntárias terem deixado de circular pelo hospital, continuam a ser procuradas e “o telemóvel não deixou de tocar”, salienta Helena Oliveira. Muitas ligam porque removem a mama e querem informações sobre os vários materiais ortopédicos, disponibilizados pela Liga Portuguesa Contra o Cancro a “um preço mais acessível”.  Outras querem ouvir o testemunho de quem já passou pelo mesmo, de quem já fez um percurso semelhante e sabe quais são os receios, as angústias e as informações mais úteis.

Texto completo na edição papel do NC.