Peça de Sara Barros Leitão para ver no TMC

No próximo sábado,7
1
143

O Teatro Municipal da Covilhã (TMC~) apresenta no sábado, 7 de Maio, às 21H30, a peça “Monólogo de uma mulher chamada Maria com a sua patroa”. Este título, roubado clandestinamente a um texto do livro “Novas Cartas Portuguesas”, dá o mote para este espectáculo, criado, escrito e interpretado por Sara Barros Leitão.

A peça, produzida pela estrutura artística “Cassandra”, parte da criação do primeiro Sindicato do Serviço Doméstico em Portugal para contar a história, ainda pouco conhecida e pouco valorizada, do trabalho das mulheres, do seu poder de organização, reivindicação e mudança. “É a história das mulheres que limpam o mundo, das mulheres que cuidam do mundo, das mulheres que produzem, educam e preparam a força de trabalho. Esta é a história do trabalho invisível que põe o mundo a mexer” explica o TMC em comunicado, onde anuncia que a lotação já está esgotada.

Sara Barros Leitão nasceu no Porto, em 1990. Formou-se em Interpretação pela Academia Contemporânea do Espectáculo e iniciou a licenciatura de Estudos Clássicos na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, iniciou o Mestrado Estudos sobre as Mulheres – Género, Cidadania e Desenvolvimento, na Universidade Aberta. Não concluiu nenhum. Trabalha regularmente em televisão, cinema e teatro. Presentemente, trabalha como actriz, criadora, encenadora, assistente de encenação e dramaturga. Nos últimos anos destacam-se as encenações dos concertos “Trilogia das Barcas” (2018), de Gil Vicente, e “Rei Lear” (2019) de William Shakespeare, coproduzidos pelo CCB e Toy Ensemble; bem como as criações “Teoria das Três Idades” (2018), coproduzida pelo Teatro Experimental do Porto e Teatro Municipal do Porto, a partir do estudo do arquivo do TEP, e “Todos Os Dias Me Sujo De Coisas Eternas” (2019), a partir de um trabalho de investigação sobre a toponímia portuense, apresentado no projecto Cultura em Expansão.

Em 2020, fundou a estrutura artística “Cassandra”, para desenvolver os seus projectos.