Portas abertas ao novo circo e às artes de rua

Festival Portas do Sol, promovido pela ASTA, começa esta quinta-feira e prolonga-se até sábado, com a apresentação de 12 espectáculos na Zona Histórica da Covilhã
1
226

Música, circo contemporâneo, dança aérea, performances e o cruzamento de disciplinas fazem parte do programa do Festival Portas do Sol, que conta com 12 espectáculos de Portugal, Espanha e Itália. O evento de artes de rua começa esta quinta-feira, 1 de Julho, e prolonga-se até sábado, com concertos marcados para as 19:00, no Miradouro das Portas do Sol, e propostas para vários espaços do Centro Histórico da Covilhã.

A segunda edição do festival de artes de rua, promovido pela ASTA- Associação de Teatro e Outras Artes, pretende difundir o novo circo e levar os espectáculos ao encontro do público, surpreender e apresentar novas linguagens das artes a que os covilhanenses estão pouco habituados. Segundo a organização, outro dos objectivos é fazer as 12 apresentações em “espaços emblemáticos da cidade” na Zona Histórica, para “dignificar e valorizar” esta área.

Durante a primeira edição do Portas do Sol, realizada em Setembro do ano passado, também em contexto de pandemia e com a lotação reduzida, todos os espectáculos lotaram e foram muitas as pessoas que assistiram fora da zona delimitada com lugares sentados.

A companhia espanhola Del-Revés, de Barcelona, com duas bailarinas a dançarem numa parede, suscitaram a maior curiosidade e grande adesão do público. Este ano os catalães regressam com uma nova apresentação de dança vertical na parede lateral da Igreja de Santa Maria. Desta vez, na sexta-feira, às 22:00, são três as protagonistas de “Uno”.

O director artístico do festival, Sérgio Novo, promete que este ano “os espaços vão-se multiplicar”. “Estamos a envolver toda esta área adjacente”, acentua o responsável, para quem o festival, e as dinâmicas que vai gerar, como aconteceu na primeira edição, espera que contribua para “um novo olhar” sobre o Centro Histórico.

Além do Miradouro das Portas do Sol, são também palco do festival a Praça do Município, o Mercado Municipal, a Igreja de Santa Maria, o largo atrás da Câmara Municipal e o Largo da Rua António Augusto Aguiar.

(Notícia completa na edição impressa)