Projecto que apoia crianças e jovens mantém-se no Tortosendo

0
215

A Coolabora- Cooperativa de Intervenção Social, viu aprovada a candidatura para manter o projecto “Quero Ser Mais”, que visa apoiar a inclusão social de crianças e jovens de contextos mais vulneráveis da freguesia do Tortosendo.

Em comunicado, a Coolabora lembra que este projecto já é desenvolvido desde 2010 e que a sua continuidade foi aprovada na 8ª geração do Programa Escolhas, o que permitirá proporcionar àquelas crianças e jovens o acesso a experiências enriquecedoras e vivências positivas, capazes de promover o desenvolvimento de competências pessoais e sociais que alavanquem o seu percurso de vida e aumentem a sua qualidade de vida.  Segundo especifica, o projecto estrutura-se nas áreas da “Educação, Inclusão Digital, Formação e Qualificação” e da “Dinamização Comunitária, Saúde, Participação e Cidadania”.

Na primeira medida, a proposta passa por “promover a melhoria dos resultados escolares, a diminuição do absentismo e abandono escolar”, bem como por fomentar o desenvolvimento de competências facilitadoras do sucesso escolar.

No que concerne à “Dinamização Comunitária, Saúde, Participação e Cidadania”, o projecto passa por “incentivar hábitos e estilos de vida saudáveis, promover o desenvolvimento de competências de cidadania, essenciais para a participação cívica e promover a diminuição de estereótipos étnicos e de território”. “Nesta última haverá um especial enfoque na área da saúde, visando incutir hábitos de vida saudáveis na vida pessoal, familiar e comunitária já que é evidente a iliteracia nesta área e a sua importância para uma cidadania plena”, é referido.

O projecto também inclui a componente da integração escolar, sendo que a Coolabora desta a “articulação estreita com as duas escolas frequentadas por crianças oriundas dos dois bairros sociais, onde se incluem crianças ciganas, introduzindo propostas pedagógicas inovadoras na senda de uma escola mais inclusiva e mais agradável para estudar”. A estratégia para o desenvolvimento de competências cívicas, mas também pessoais e sociais, passa por colocar as crianças e jovens no centro das dinâmicas culturais, desportivas e artísticas da vila, em contacto com as instituições, coletivos de jovens e outras crianças e jovens de meios artísticos, desportivos e culturais de modo a proporcionar uma convivência positiva, essencial para a inclusão. Além disso, “perante o crescimento de movimentos ideológicos extremistas que levam ao ódio e à violência, o projecto prevê actividades específicas para trabalhar a igualdade e a não discriminação junto dos diferentes públicos com quem se relacionam as crianças”.

Comments are closed.