Serra da Estrela com circuito de canyoning

Modalidade pode ser praticada na Ribeira de Cortes, de Agosto até Outubro. Investimento de cerca de 20 mil euros é da Federação de Desportos de Inverno, para aumentar a oferta e criar mais um atractivo que leve os visitantes a ficarem mais dias
0
2238

A partir de 1 de Agosto, e até ao final de Outubro, vai ser possível fazer canyoning na Ribeira de Cortes, Serra da Estrela. Uma nova oferta que chega à região pela mão da Desafios de Inverno, empresa detida pela Federação de Desportos de Inverno de Portugal (FDIP), com o intuito de aproveitar as condições naturais para a prática da modalidade e criar mais um atractivo para que os visitantes fiquem mais dias neste destino.

O presidente da FDIP, Pedro Farromba, sublinha ao NC que esta é uma forma de desfrutar “das belezas naturais do percurso e das águas puras e cristalinas” da Ribeira de Cortes.

O traçado, feito sempre na companhia de dois monitores, “devidamente credenciados” e com formação na área, tem início por cima da Bouça, num trajecto pedonal ascendente, com uma parte feita quase em escalada, com cordas e, mais à frente, começa-se a fazer a descida pelo interior da ribeira e termina no Poço do Embude, em Cortes do Meio.

“Fazemos este desafio aos visitantes de poderem fazer um percurso devidamente equipados, monitorizados, com cordas, com saltos para a água, com mergulhos nas águas frescas e cristalinas da Ribeira de Cortes”, refere Pedro Farromba.

“Experiência inesquecível”

O canyoning é um desporto radical que implica ultrapassar obstáculos num curso de água com a utilização do corpo, seja a caminhar, saltar ou a nadar.

Além do ambiente controlado e da sensação de segurança, por se ir acompanhado por quem está capacitado para o efeito, e com o devido equipamento, o presidente da FDIP realça “a experiência fantástica” de poder percorrer locais “muito agradáveis”, no “coração da Serra da Estrela”, e antecipa a vontade de quem experimentar querer repetir a “experiência inesquecível”.

Pedro Farromba salientou ter sido um processo longo, que implicou garantir com o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas e as entidades de gestão do território “uma utilização ponderada” do espaço, respeitando as características da “fauna e flora locais” e não sendo intrusivo em relação à natureza.

Grupos entre seis e dez pessoas

Nesse sentido, cada percurso está limitado a grupos pequenos, entre seis e dez pessoas.

A actividade tem licença para funcionar até Março, mas, devido ao aumento da quantidade de água, vai funcionar até ao final de Outubro.

O preço por pessoa é 68 euros e inclui, além do acompanhamento de dois monitores, todo o equipamento necessário, desde o fato de neoprene, capacete, calçado anfíbio, mochila, contentor estanque para transportar os bens ao enquadramento que lhes vai ser feito.

O percurso tem início às 9:30 e termina pelas 15:00.

O canyoning, a que também se chama canionismo, representou para a Desafios de Inverno um investimento de cerca de 20 mil euros, para “ampliar a oferta turística que existe hoje na Serra da Estrela” e “aproveitar as condições naturais que existem”, criando uma oferta que não existia na região.

 

Comments are closed.