Serranos perdem em Matosinhos

Derrota por 2-1 prolonga jejum de vitórias do “leão da serra”
0
493

O Sporting da Covilhã perdeu, no passado sábado, por 2-1, no Estádio do Mar, em Matosinhos, frente ao Leixões, prolongando o jejum de vitórias, que dura desde a segunda jornada e ficando em situação cada vez mais delicada na tabela (só Varzim e Académica estão abaixo dos covilhanenses). Em 14 jornadas, os serranos, desde a segunda (12 jornadas) que não vencem.

No segundo jogo de Leonel Pontes ao leme da equipa, apesar do maior caudal ofensivo do Leixões na primeira parte, raramente o perigo rondou a baliza à guarda de Leo Navacchio. Apenas ao minuto 36 os homens de José Mota criaram algum perigo. Uma falta de Lucas Barros, que deu origem a um livre batido por Thalis, que meteu a bola na cabeça de Luan Santos, que cabeceou para boa defesa de Leo para canto. O único lance digno de registo num primeiro tempo sem grandes primores técnicos, e um futebol muito lutado, mas nem sempre bem jogado, face ao facto de ambas equipas já estarem há algum tempo sem vencer (o Leixões já não ganhava desde 15 de Outubro).

No reatamento, a primeira grande oportunidade de golo foi dos serranos, com Jô Santos quase do meio-campo, a tentar surpreender o guardião leixonense Stepanovic. Na resposta, golo da equipa da casa, num rápido contra-ataque concluído, com êxito, por Thalis, aos 47 minutos. Aos 61, novo golo para os nortenhos, num lance que os serranos contestam, dizendo ter sido precedido de falta, mas em que, numa finalização confusa, Kiki foi mais esclarecido e atirou a contar.

O Covilhã reagiu, passou a tomar conta do jogo, foi-se aproximando da baliza contrária e, aos 77 minutos, Stepanovic impediu, com uma defesa para canto, o golo covilhanense, após um cruzamento traiçoeiro. Aos 80 minutos, Devid Silva, isolado por Ricardo Vaz (entrou bem no jogo), quase marcava, mas isso acabaria mesmo apenas por acontecer aos 90 minutos. Livre lateral e o central Jaime Simões (regressou à equipa após prolongada ausência) a dar o melhor seguimento à bola para o fundo da baliza. No final, alguma confusão na saída do campo, que custou um cartão vermelho a Ricardo Vaz e ao preparador físico do Leixões.

No final, Leonel Pontes, apesar da derrota, elogiou “o crescimento” da equipa, em especial após o segundo golo.  A partir daí “o Covilhã mandou no jogo, a equipa cresceu, pressionou o adversário”, acreditando que a equipa continuará a crescer e irá rapidamente sair da situação delicada em que está na tabela. Já o técnico leixonense, José Mota, disse que este foi “um jogo típico da Segunda Liga, com uma excelente atitude de ambas as equipas e equilibrado. Soubemos estar à altura e conseguimos a vitória, num encontro em que existiu carácter, foco e determinação para vencer”.

Na próxima jornada, segunda-feira, às 18 horas, o Sporting Clube da Covilhã recebe o penúltimo classificado, o Varzim.

Comments are closed.

Mais Notícias