Trabalhadores querem viabilização da Dielmar e deixam recados ao Governo

Grupo de trabalhadores manifesta-se em frente à empresa exigindo a sua viabilização. Se até dia 26 não houver uma solução, protesto segue para o Ministério da Economia
1
294

Um grupo de trabalhadores da Dielmar em protesto à porta da empresa, em Alcains, exigiu a viabilização da firma e disse ao Governo que, se não houver uma solução até dia 26, os funcionários irão ao Ministério da Economia. “Queremos que a empresa seja viabilizada, mas isso não depende unicamente de nós. Isso depende também dos credores. De qualquer forma, os trabalhadores são a parte mais importante desta empresa. Por isso, o Ministério tem de olhar para nós e tem de dizer, se no dia 26 ou até dia 26, não houver nenhuma solução à vista, nós antes disso iremos a Lisboa e vamo-nos concentrar em frente ao Ministério da Economia”, afirmou Marisa Tavares, do Sindicato dos Trabalhadores do Sector Têxtil da Beira Baixa.

A sindicalista, que falava aos trabalhadores que decidiram realizar esta concentração, a maioria deles não sindicalizados, apelou à união de todos. “Dizemos ao senhor ministro da Economia que se for preciso nós iremos a Lisboa, ao Ministério da Economia, e continuaremos a trabalhar em união. Todos os trabalhadores irão fazer a pressão necessária para que, efectivamente, cheguemos ao final deste processo todo e tenhamos a situação viabilizada”, sublinhou. Marisa Tavares pediu ainda aos trabalhadores para que se mobilizem para, no dia 26 (data em que a assembleia de credores da empresa de confeções Dielmar volta a reunir), estejam presentes junto ao Tribunal do Fundão. “É importante que todos estejamos em unidade e é importante que, aí sim, consigamos estar todos juntos e mostrar ao Estado e aos credores que queremos que a empresa seja viabilizada”, concluiu.

Texto completo na edição papel do NC.