Trave impediu Ahmed de desfazer o nulo frente ao Penafiel

Depois de uma primeira parte apática, o Sporting da Covilhã reagiu após o intervalo, numa segunda metade intensa, em que os serranos acertaram no ferro já nos descontos
1
106

Ana Ribeiro Rodrigues

O Sporting da Covilhã empatou na sexta-feira, 17, em casa, sem golos, na sexta jornada da II Liga de futebol, frente ao Penafiel, e somou o quarto jogo sem vencer, embora tenha mantido o oitavo lugar na classificação, após um jogo em que os serranos estiveram muito apagados no primeiro tempo, mas conseguiram equilibrar a partida na etapa complementar e criaram a melhor ocasião para marcar, quando Ahmed, já nos descontos, acertou na trave.

As duas equipas, separadas por apenas um ponto, protagonizaram uma primeira parte com pouco dinamismo, poucos motivos de interesse, um futebol pobre e em que as ocasiões para marcar escassearam.

Com quatro alterações na formação inicial e há três jogos sem ganhar, o Sporting da Covilhã apresentou-se em campo retraído, incapaz de sair a jogar e com dificuldade em criar dificuldades no meio campo adversário.

Já os durienses entraram no relvado mais pressionantes, com a iniciativa no jogo, mais autoritários e chegaram ao intervalo com duas oportunidades para inaugurar o marcador. Apesar da primeira metade prometedora, o domínio não se traduziu em vantagem no marcador.

Logo aos cinco minutos Roberto, em resposta a um cruzamento de David Caiado, cabeceou por cima da baliza. Simãozinho também tentou a sorte já com o ângulo muito fechado e a bola não foi à baliza. Aos 36 minutos Leo Navacchio não agarrou à primeira o remate de longe de Rui Pedro e, na recarga, o guardião serrano defendeu com o pé a insistência de Roberto.

No reatamento ambos os treinadores mexeram na equipa e o encontro ganhou equilíbrio, passou a ser jogado com maior ritmo e as duas formações chegaram com maior facilidade junto da área adversária.

Wender fez entrar Ahmed para o meio campo e a alteração produziu de imediato resultados.

De canto, o serrano Ricardo Vaz obrigou Caio Secco a defender com os punhos. Na resposta, Feliz obrigou Navacchio a desviar rente ao poste e aos 64 minutos os penafidelenses voltaram a obrigar à intervenção do guarda-redes dos `leões da serra`, numa investida de Edson Farias.

O timoneiro serrano refrescou o ataque com os habituais titulares Jô e Arnold e a equipa mostrou confiança, com processos de jogo mais definidos.

Aos 70 minutos Jô aproveitou uma perda de bola para tentar surpreender o guardião visitante, que defendeu o remate à entrada da área, em zona frontal. Quando estavam jogados 76 minutos, de livre, Jean Felipe, defesa do Covilhã, obrigou a nova defesa de Caio Secco.

Na baliza dos nortenhos, na sequência de um canto, Caiado viu Navacchio desviar o remate para canto, mas a oportunidade mais flagrante pertenceu ao Sporting da Covilhã, já no tempo extra, quando Ahmed Isaiah, de livre, acertou na barra e não conseguiu desfazer o nulo.

Foto: António Vale/Mundo Português

Texto completo na edição papel do NC.