USCB diz que “não há dinheiro” para obras na Casa dos Magistrados

União de Sindicatos dá prazo de três meses para que se iniciem as obras no local onde espera ver instalado o Tribunal de Trabalho
0
462

“O que sabemos é que falta o dinheiro para as obras. Foi a única coisa (Câmara) que nos disseram. Aguardamos pelo que vai acontecer nestes três meses e depois decidir a melhor forma de intervenção, pública ou não. Mas a União de Sindicatos não vai deixar esquecer.” Foi isto que, na passada quinta-feira, 27 de Maio, o coordenador da União de Sindicatos de Castelo Branco (USCB), Sérgio Santos, afirmou quanto às obras de requalificação da Casa dos Magistrados, ao lado do Tribunal da Covilhã, para onde espera que sejam transferidos, o mais rapidamente possível, os serviços do Tribunal de Trabalho.

Durante anos que um conflito entre a Câmara e a RUDE impediu essa transferência, mas no início de 2020, as duas entidades anunciaram um acordo, desistindo das acções judiciais em curso, e disponibilizando-se o edifício a partir de Agosto do ano passado. Só que, desde aí, nada mais aconteceu. “Estamos no final do mês de Maio de 2021 e tudo continua como dantes: as obras não avançam” frisa a USCB. Sérgio Santos acrescenta que, desde 2015 que “dizemos que já devia estar a funcionar. Desde a transferência das antigas instalações que nos dispusemos a ajudar a resolver o problema. Mas desde aí que a casa está fechada, sem obras à vista, sem ninguém dizer nada. Há dois meses atrás enviámos cartas para o juiz da Comarca, Ministério da Justiça, mas não nos dizem nada, nem a Câmara da Covilhã” lamenta.

A USCB recorda que o Tribunal de Trabalho está instalado, provisoriamente, em condições que “não dignificam e não asseguram a autonomia do ramo do direito de trabalho nas instalações do Tribunal Judicial” e por isso exige “a urgente transferência” para a Casa dos Magistrados.

(Notícia completa na edição papel)

Comments are closed.

Mais Notícias