Valhelhas: a praia fluvial que pode ter mais gente este Verão

São 37 as praias fluviais classificadas para a próxima época balnear na Beira Interior. Mas este ano, tal como no ano passado, face à pandemia, há limites de lotação
0
665

Em Valhelhas, oficialmente, a época balnear ainda não arrancou (data oficial é 1 de Julho, mas existe a possibilidade de ser uma semana antes), mas já há muito tempo que se trabalha com vista ao que aí vem. Na região da Beira Interior, esta é a praia fluvial que costuma ter mais afluência e, por isso, a Junta de Freguesia local tem trabalhado por dar, todos os anos, melhores condições aos banhistas. Este ano, trabalha-se na estabilização da margem direita do rio, tornando-a igual à da margem contrária, e evitando as desagradáveis quedas nos gogos quando se tenta entrar na água.

A obra, custeada em cerca de 35 mil euros pela Câmara da Guarda, inclui um paredão de cimento e acessos mais facilitados ao rio, em escadaria. Também será criada uma nova comporta metálica de emergência, numa praia que, há quase década e meia ostenta de forma consecutiva a Bandeira Azul, símbolo de qualidade.

Este ano, segundo a Quercus- Associação Nacional de Conservação da Natureza, na Beira Interior, onde oficialmente existem 37 praias fluviais (não se contam muitas que existem, mas não estão classificadas no mapa da Agência Portuguesa do Ambiente), 22 ostentam o selo de Qualidade de Ouro na época balnear 2021, que confere a qualidade das suas águas. Valhelhas é uma delas.

Mas é também neste local que, em segundo Verão de pandemia, mais gente pode estar. Segundo a Agência Portuguesa do Ambiente (APA), este ano, a praia fluvial de Valhelhas, no concelho da Guarda, terá capacidade para acolher 3500 pessoas diariamente, o número mais elevado em toda a Beira Interior. A segunda, mais próxima em termos de lotação, é o Vale do Rossim, em Gouveia (1300).

Recorde-se que, a época nas zonas balneares classificadas está definida entre 1 de Julho e 31 de Agosto e, face à pandemia, existem mais uma vez limitações à sua frequência, para prevenção, mitigação e contenção da infecção por covid-19. Para determinar a capacidade de ocupação das praias, a APA teve em conta a área utilizável para a prática balnear, não só em extensão do próprio rio, mas também tendo em conta os espaços envolventes disponíveis para acolher veraneantes.

(Artigo completo com a lotação de todas as praias fluviais da região na edição impressa)

Comments are closed.