Vitória mantém esperança serrana

Rui Gomes foi o protagonista do encontro com o Trofense, que o Sporting da Covilhã ganhou por 2-0, na quarta vitória e a mais folgada esta temporada
0
353

Dez jornadas depois da última vitória, o Sporting da Covilhã voltou a somar três pontos, no domingo, frente ao Trofense (2-0), e depois de ter sido dois dias antes atirado para os lugares de despromoção pelo Varzim, voltou ao lugar de play-off, com mais um ponto do que os poveiros e a quatro do Viseu e Trofense, voltando à luta pela permanência no segundo escalão do futebol nacional.

Com os clubes na cauda da tabela mais próximos após a 26.ª jornada, as oito jornadas que faltam vão ser “grande batalhas, mantendo o compromisso”, referiu o treinador serrano, Leonel Pontes, que acentuou a “qualidade colectiva da equipa, mas precisa de uma pontinha de sorte”, referiu.

Na tarde do último domingo, 13, Rui Gomes foi o protagonista do encontro, ao tentar marcar, criar desequilíbrios e ao protagonizar as duas assistências dos golos dos ´leões da serra`, marcados por Kukula (58) e por Samu (85).

A primeira metade foi pautada sobretudo pelo equilíbrio, com o Sporting da Covilhã a entrar melhor da partida. Helitão atirou por cima, em resposta ao canto de Jean Felipe, e o virtuoso Rui Gomes criou a grande ocasião para inaugurar o marcador, aos 12 minutos, mas a bola bateu em Mutsinzi e saiu a rasar o poste.

O Trofense de Francisco Chaló, aplaudido no início do jogo, que agora conta sete jogos sem ganhar, cresceu no jogo, mas a única vez que Léo Navacchio foi chamado a intervir, na sequência de um canto de Bruno Almeida, conseguiu afastar a bola sem problemas de maior.

Chaló mexeu no ´onze` no regresso dos balneários, mas foi o Covilhã a mostrar-se mais esclarecido e a conseguir ter a eficácia que lhe tem tantas vezes faltado.

Primeiro foi Helitão a assustar, num cabeceamento por cima. Aos 58 minutos os serranos inauguraram o marcador, graças a um bom trabalho de Rui Gomes no corredor esquerdo, que progrediu no relvado desde a linha divisória, tirou vários adversários do caminho e cruzou para o segundo poste, onde Kukula, livre de marcação, saltou e cabeceou certeiro.

Ao minuto 68 Matheus Reis criou a melhor ocasião para o Trofense, mas o esférico passou por cima da baliza. Na resposta, André Almeida, aos 72 minutos, esteve perto de aumentar a contagem, num cabeceamento, mas o central errou o alvo por pouco e a bola foi aninhar-se na rede por cima da trave.

Bruno Almeida, de livre, também tentou a sorte, quando o Covilhã mostrava organização defensiva, e o serrano Samu, acabado de entrar e isolado, desperdiçou aos 81 minutos ocasião soberana para dilatar o marcador, mas compensou a falha clamorosa aos 85 minutos, quando marcou o golo que tranquilizou os ´leões da serra`, assistido por Rui Gomes.

Já nos descontos, André Almeida podia ter marcado o terceiro, mas o cabeceamento passou a rasar o poste.

O Sporting da Covilhã regressou três meses depois às vitórias, a quarta esta temporada e a mais folgada, por dois golos de diferença, mantendo-se no delicado 16.º lugar, com 23 pontos, enquanto o Trofense prolongou para sete o jejum de jogos sem ganhar e mantém-se no 14.º lugar da classificação, com 27 pontos.

No próximo sábado, às 11:00, o Sporting da Covilhã volta a jogar em casa, desta vez com o Mafra, oitavo na tabela, e está obrigado a ganhar, para não correr o risco de aumentar a distância para os lugares de segurança.

Leonel Pontes pede aos adeptos que sejam uma dificuldade acrescida para as equipas adversárias, que vão ao estádio apoiar os serranos e sejam o 12.º jogador.

Comments are closed.